Vinho Mineiro! Sonho ou realidade?

O manuseio da videira é um dos principais fatores que contribuem para a qualidade dos vinhos mineiros.


Por Wallace Neves

Foto Divulgação


Recentemente, os vinhos de Minas Gerais vêm se destacando em qualidade na crítica nacional e internacional. No ano passado, 5 dos 12 vinhos brasileiros premiados na Decanter Word Wines, são do nosso Estado. Como sommelier e formador de opinião, faço parte do seleto júri da Grande Prova dos Vinhos do Brasil, onde no ano de 2020 avaliamos, às cegas, 1309 amostras (814 de vinhos, 428 de espumantes e 67 sucos de uva), de 144 vinícolas, em 51 categorias, onde alguns vinhos mineiros receberam medalhas de ouro. Dentro do Estado, as áreas de maior plantação de uvas e produção de vinhos estão situadas no Sul de Minas em regiões como Andradas, Três Corações, Cordislândia e Três Pontas. Porém, recentemente, fui surpreendido com um belíssimo Syrah feito no Cerrado Mineiro, a pouco mais de 150 quilômetros de Uberlândia. A vinícola se chama Bambini e está localizada em Cruzeiro da Fortaleza.


A família tem descendência italiana e o patriarca é engenheiro agrônomo. O projeto familiar teve início em 2012. As uvas eram trazidas de Amparo/SP. Porém, em 2015, começaram a plantar videiras em sua propriedade, mesmo sem saber se o resultado seria satisfatório. Só em 2017 receberam a visita de um consultor que trabalhava para a Vitécea e que ficou surpreso com o potencial vitícola. A partir daí, iniciouse a vinificação e o resultado foi animador. O primeiro envase foram somente de 150 garrafas. A produção comercial ocorreu em 2018, onde foram produzidas 545 garrafas. Em 2019, que foi a safra que degustei, a produção foi de 2605 garrafas, que já se esgotaram.


Um dos principais fatores que contribuem para a qualidade dos vinhos mineiros está associado ao manuseio da videira. Os produtores utilizam uma técnica pioneira conhecida como dupla poda. A primeira ocorre em setembro e a segunda em janeiro. Isso irá fazer com que a videira dê frutos em pleno inverno. Vale lembrar que é no inverno onde temos o clima mais seco em nosso estado e onde temos uma maior amplitude térmica, com temperaturas próximas dos 27º durante o dia, e em torno de 10º à noite. Dessa forma, o clima tem características semelhantes ao clima do hemisfério norte, proporcionando um amadurecimento lento e uma melhor qualidade dos frutos. Então fica o convite: descubra você também mais essa delícia das Minas Gerais!


Wallace Neves é Sommelier profissional, professor da Associação Brasileira de Sommeliers, Diretor da Sommelier School, consultor enogastronômico e professor de Enologia do IGA, tendo recebido prêmios de Sommelier do Ano pela RWFF e Embaixador dos Vinhos do Alentejo no Brasil.

6 visualizações0 comentário