top of page

Verticalização impulsiona mercado imobiliário

Empreendimentos verticais sofisticados e com alta qualidade são destaques em Uberlândia.


Por Alitéia Milagre | Serifa Comunicação

Fotos Divulgação

A verticalização imobiliária é uma tendência mundial. Para ter ideia dessa projeção de crescimento, em 2020 foram lançados 40 empreendimentos verticais em Uberlândia. Esse número subiu em 2021, saltando para 53, um crescimento de 32,5%. Só no primeiro trimestre de 2022 outros 20 projetos foram lançados. O número de unidades também é expressivo. Em 2021 foram lançadas 5.158, 655 a mais que em 2020, quando esse número chegou a 4.503 unidades.


Em 2022, 1.845 unidades estão disponíveis para venda. Os dados são da última pesquisa sobre o mercado da construção civil, realizada pela empresa de consultoria Bureau de Inteligência Corporativa (BRAIN), contratada pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (Sinduscon-Tap). O boom de empreendimentos imobiliários nesse nicho iniciou-se com a chegada da Brasal Incorporações na cidade.


A empresa é pioneira na construção de condomínios verticais de luxo e os cinco lançamentos construídos na zona Sul somam 803 unidades. Seu mais novo empreendimento é

o Chess, que chega para atender pré-requisitos de diferentes clientes que buscam moradia com diferenciais construtivos, seja para morar ou investir. Com 230 unidades, o Chess terá studios, apartamentos tipo e coberturas duplex, com diversas opções de plantas e metragens que vão de 45m² a 208m², divididas em duas torres: Nero, com 20 pavimentos de apartamentos e Bianco com 21. Em um movimento inteligente da Brasal em direção à Zona Sul, o Chess segue a estratégia de expansão neste nicho e ganha destaque em uma das áreas mais novas do setor, no bairro Jardim Sul.

Com sete anos no mercado de incorporações em Uberlândia, a Brasal tem a certeza de que a introdução de novas soluções e metodologias é o que garante a manutenção da excelência dos seus empreendimentos e serviços, estando diretamente ligada ao seu exponencial crescimento. Seu diretor em Uberlândia, Sebastião Longuinho, enfatiza que os pilares de pessoas, processos e tecnologia na engenharia e nos métodos construtivos têm sido revisitados em projetos importantes para melhorar continuamente a entrega de valor da empresa e no que é oferecido ao cliente como produto final.


“Estamos otimistas, pois já arrancamos muito bem com as vendas, em especial dos compactos. A região está no radar de grandes investidores e isso é bom para o crescimento da Zona Sul. Estamos com outros projetos em vista para atender a um público que busca projetos ousados, de alta qualidade. Seguimos cada vez mais conectados em superar as expectativas dos que querem morar bem”, enfatiza Longuinho.

( Sebastião Longuinho, diretor da Brasal Incorporações em Uberlândia )

Segmento em alta

Outra empresa que tem apostado em empreendimentos verticais é a Arez Inteligência,

empresa com inteligência de mercado e vendas do mercado imobiliário. Nos últimos

três anos, lançou nas regiões Sul e Leste 10 empreendimentos verticais, totalizando um VGV de aproximadamente R$ 400 milhões. Ao todo, foram 600 unidades lançadas com dois, três e quatro suítes. Os apartamentos variam de 56 m² a 351 m², todos dotados de segurança, conforto, lazer e conveniência. Os projetos buscam colaborar com o estilo de vida de todos os clientes. Marco Mello, CEO e Fundador da Arez Inteligência, destaca que a verticalização é o caminho natural de desenvolvimento, que vai formando-se pelo tamanho proposto das áreas e pela mudança de cultura social.

( Marco Mello, CEO e fundador da Arez Inteligência )


“Uberlândia é uma cidade que cresce em sua densidade populacional. São pelo menos 10 mil habitantes/ano, segundo aponta o IBGE Cidades. Neste item, temos encontrado uma aceitação especial dos públicos que recebem a oferta pelos grandes diferenciais que propomos. Segundo a Datazap, nossa taxa de verticalização em Uberlândia é de 13 apartamentos para cada 100 unidades. Já na Zona Sul, vemos este número expandir. Para cada 100 unidades, 45 são apartamentos”, ressalta.


Mello diz ainda que dos 10 empreendimentos quatro estão com obras concluídas, seis em construção e dois prontos para serem lançados neste ano.

“Estamos otimistas. Acreditamos muito no potencial de Uberlândia”, salienta.

A Perplan também é uma forte empreendedora nesse nicho. Fundada em Ribeirão Preto, já lançou mais de 35 empreendimentos em diversas cidades brasileiras. Em Uberlândia, foram três lançamentos verticais na região Sul: o Liberdade 1226, com 32 apartamentos, quatro opções de plantas, apartamentos tipos, duplex, maison e triplex com 200,48 m², 325,95 m², 405,65 m² e 493,56 m²; o Mariê 160, com 44 apartamentos de 187 m² e o Grandverse Garden, com 156 apartamentos de até três suítes e unidades com metragens entre 95 m²

e 115m².

( Gustavo Pereira, gerente comercial da Perplan )


O gerente comercial da Perplan, Gustavo Pereira, conta que a empresa trabalha com duas frentes paralelamente. “Somos uma incorporadora e urbanizadora com 22 anos de história, com foco no desenvolvimento de bairros planejados, loteamentos com completa infraestrutura e empreendimentos verticais sofisticados e com alta qualidade em acabamentos. No caso dos empreendimentos verticais, investimos pela vocação das áreas que adquirimos, além de termos um grande landbank na cidade de Uberlândia. Nossos projetos são muito bem pensados, não fazemos empreendimentos mais do mesmo, levamos conceito, inovação, arquitetos renomados e tecnologia para os empreendimentos imobiliários”, explica.

Gustavo destaca o desempenho muito forte e positivo dos lançamentos e vendas de

apartamentos. “O Liberdade está 100% vendido e muito próximo de entregarmos. O Mariê está 90% vendido e com suas obras em ritmo acelerado e, recentemente, lançamos o Grandverse Garden, com pretensão de novos lançamentos. No geral, nossos números demonstram um mercado ativo, com desempenho consistente em vendas, em um ritmo de lançamentos positivos que postamos tendo como termômetro a demanda da cidade e a resposta que os consumidores dão à oferta”, conclui.

4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page