Supporte Logística tem balanço positivo em 2021


GMV atingiu R$ 6 bilhões e nível de serviço em transportes chegou acima de 96%


A Supporte, empresa com atuação nacional e mais de 20 anos de expertise em operações logísticas, obteve um crescimento de 50% em 2021, atingindo mais de R$ 6 bilhões em movimentação total de mercadorias (GMV).

A empresa também manteve a excelência no nível de serviço logístico (percentual de entregas dentro do prazo acordado com seus clientes), e atingiu o índice acima de 96%, atendendo as diferentes necessidades dos clientes nacionais e multinacionais.

De acordo com Pedro Carneiro, CEO da Supporte Logística, por meio de uma ampla estrutura logística nacional, seja por via aérea, rodoviária, ferroviária, fluvial ou por cabotagem, a Supporte entrega o melhor resultado. “Isso acontece porque operamos com sincromodalidade, ou seja, a integração entre os diferentes tipos de transportes para oferecer as melhores rotas para uma entrega com soluções de ponta-a-ponta. Nosso propósito é facilitar as experiências de consumo do cidadão”, explica.


Projeções para 2022

Em 2022, a Supporte espera elevar o faturamento em 30%. Para isso, a empresa pretende ampliar sua carteira de clientes e alavancar as estruturas de Portos Secos.

“Temos como objetivo ser o primeiro integrador logístico no Brasil com capacidade e atuação em toda cadeia logística, do comércio exterior ao digital, do serviço de transportes ao entreposto da Zona Franca de Manaus, de ponta a ponta sendo reconhecida pelos nossos clientes e colaboradores como uma empresa socialmente e ambientalmente sustentável, com boas práticas de governança corporativa”, pontua Pedro Carneiro.


Sobre


No ano de 1999, a Suporte iniciou suas atividades em Uberlândia (MG), com uma extensa malha rodoviária e posição geográfica privilegiada.


Atualmente, a empresa conta com quatro armazéns nas cidades de Uberlândia, Ipojuca, Manaus e São Paulo, com mais de 170 mil m2 de armazenagem estrategicamente localizados, dois Portos Secos: o Porto Seco do Cerrado em Uberlândia e o Porto Seco Ipojuca, que servem como base para operações de importação em regime convencional, de entreposto aduaneiro, drawback, exportação e outros regimes aduaneiros.


Também fazem parte do complexo dois entrepostos da Zona Franca de Manaus, um em Ipojuca e outro em Uberlândia, que facilitam e aumentam a agilidade na distribuição de cargas e ajudam a reduzir custos.

5 visualizações0 comentário