top of page

Secretária de Agricultura apresenta potencial de crescimento dos produtos do agro mineiro

Após recorde nas exportações, evento na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves revelou as perspectivas esperadas.

Foto: Ascom/Seapa


De acordo com a secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, 1% da cachaça brasileira produzida em Minas Gerais é exportada, enquanto o México exporta 80% da sua produção de tequila. Além da cachaça, o setor apícola, lácteos e a fruticultura são alguns dos segmentos que vêm apresentando potencial de crescimento e contribuição para a diversificação da pauta. Hoje, Minas Gerais exporta produtos do agronegócio para 176 países, com destaque para a China, Estados Unidos, Alemanha, Itália e Japão. Em 2021, foi apurado o recorde da série histórica, com US$ 10,5 bilhões.


E o potencial de expansão não é diferente quando se trata do produto líder em valor embarcado. “Ano passado a produção de café alcançou 34,6 milhões de sacas. Se fôssemos um país, o estado seria o maior produtor mundial de café, mas a atividade ocupa somente 1,8% do território mineiro”, avalia a secretária de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ana Valentini. Além da exportação do café como commodity, Minas Gerais vem agregando valor e conquistando mercados com a exportação de cafés especiais.


A secretária de Agricultura também destacou o crescimento de 20% no valor das exportações em relação ao ano de 2020. “O agronegócio responde por quase um terço de todas as exportações do estado e esse resultado nos chamou a atenção por ter sido conquistado num ano de pandemia com todas as dificuldades enfrentadas, como logística, custo no transporte de navios e a dificuldade da falta de contêineres”.


Além do café, cujo valor com as exportações, em 2021, alcançou US$ 4,4 bilhões, respondendo por 42% do valor total exportado, destacou-se o complexo soja com US$ 2,4 bilhões (23%); carnes com US$ 1,2 bilhão (11%); complexo sucroalcooleiro que alcançou US$ 1,1 bilhão (11%) e produtos florestais com US$ 700 milhões (7%). Essas cinco cadeias produtivas respondem por 94% das exportações do agronegócio do estado e todas registraram crescimento no ano passado.


Fonte: Márcia França/Ascom/Seapa

3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page