Primeiro morador

Conviver entre o lógico e o metafísico é tarefa para poucos, ou são catedráticos ou lunáticos.




Por Arlindo Maximiano Drummond

Fotos Divulgação


Sabemos mais sobre a África que o Triângulo Mineiro e um dos motivos por isso é que tudo que foi encontrado no Pontal do Triângulo de Minas foi saqueado pelas universidades paulistas e não foi devolvido em forma de estudo para o nosso conhecimento. Controvérsias existem, o primeiro americano veio por Bering ou por povos do Japão, entrando na costa oeste dos Estados Unidos, ou polinésios entrando pelo Chile ou canoeiros entrando pela terra do fogo? Mas também tivemos visitantes em naves e ninguém explicaria artefatos achados em nossas terras, que são materiais que desafiam os ditos professores em arqueologia. Talvez fazendeiros analfabetos convivam e estudam materiais que universidade nenhuma conseguiu. Alguns materiais são de cunho religiosos, outros utensílios de sobrevivência, mas uns poucos intrigam nosso conhecimento, desenhos de mapas de onde vieram? Conviver entre o lógico e o metafísico é tarefa para poucos, ou são catedráticos ou lunáticos. Enquanto grandes faculdades e ufólogos não se entendem, alguns acham mais fácil frequentar igrejas e, recebendo dos seus gurus a ordem de fechar janelas às 18 horas, deixam de olhar o céu e com isso escondem da sua imaginação a grandeza presente do Deus de Spinoza.



8 visualizações0 comentário