top of page

Parceria entre MPT e CODEN vai incentivar o desenvolvimento de jovens aprendizes



Cidade tem potencial de oferecer 5 mil vagas para este público

O Ministério Público do Trabalho em Uberlândia (MPT) e o Conselho de Desenvolvimento Econômico (CODEN) realizarão o lançamento da campanha Jovem Aprendiz Uberlândia, iniciativa que visa reforçar a importância de se abrir portas para jovens de 14 a 24 anos para conquistarem experiência profissional sem abandonar os estudos.

O lançamento ocorrerá na terça-feira (6), às 14h, com a presença da Auditora-Fiscal do Trabalho, Dra. Christiane Azevedo Barros, coordenadora do Programa de Aprendizagem da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Minas Gerais – SRTE/MG e de diversas autoridades, representantes de entidades formadoras de jovem aprendiz e entidades representativas de classe como ACIUB, CDL e FIEMG, na sede do Ministério Público do Trabalho.

A Lei da Aprendizagem é o pilar fundamental que oferece aos jovens uma oportunidade única de aprendizado enquanto trabalham. Ao mesmo tempo, as empresas se beneficiam da vantagem da formação de mão-de-obra.

A campanha Jovem Aprendiz Uberlândia tem o propósito de engajar as empresas em um projeto de responsabilidade social, dando oportunidade de formar profissionais para o mercado de trabalho, não se limitando apenas ao cumprimento da cota estabelecida pela lei.

De acordo com um levantamento realizado pelo MPT, as empresas da cidade têm potencial de oferecer cerca de cinco mil vagas para esta categoria.

Além da apresentação da campanha de incentivo à contratação de jovens aprendizes, composta por veiculações em TV, rádio e internet, será divulgada uma pesquisa sobre o cenário do jovem aprendiz no mercado, com o objetivo de compreender a percepção das empresas através de avaliações que identifiquem comportamentos e tendências.

Com 10 instituições qualificadas para ministrar cursos de Jovem Aprendiz, Uberlândia conta com uma estrutura adequada para o desenvolvimento do programa jovem aprendiz, garantindo a qualidade do ensino e a avaliação dos resultados.

O procurador do Trabalho, Dr. Paulo Gonçalves Veloso, ressalta que a contratação de jovens aprendizes não só tira os jovens da vulnerabilidade social, gera empregos e ainda proporciona acesso ao conhecimento, além de cumprir obrigações legais. Ele destaca que um contrato de Jovem Aprendiz proporciona uma experiência profissional formalizada, que será valiosa no futuro para conquistar novas oportunidades de emprego e promover o amadurecimento profissional. “Ter um Jovem Aprendiz na empresa é uma chance de oferecer oportunidades e permitir que eles desenvolvam responsabilidade, disciplina, habilidades de comunicação e aprendam com seus próprios erros”, reforça.

Segundo Fabio Pergher, empresário e presidente do CODEN, essa iniciativa vai ajudar na reflexão e conscientização de todos os envolvidos: entidades formadoras, empresas, comunidade e o MPT. “Cada um tem um papel importante na melhoria do ambiente de contratação de Jovem Aprendiz em nossa cidade”, afirma.

O que diz a lei?

Atualmente, o Jovem Aprendiz é contemplado pela Lei da Aprendizagem (Lei 10.097/2000) e pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Pelas regras atuais, as empresas devem ter entre 5% e 15% de aprendizes em relação ao número de empregados cujas funções demandam formação profissional. O aprendiz deve ter idade entre 14 e 24 anos, estar matriculado em algum programa de aprendizagem e formação técnico-profissional metódica, compatível com o seu desenvolvimento físico, moral e psicológico.


Serviço

Lançamento Campanha Jovem Aprendiz Uberlândia Data: 6 de junho Horário: 14h Local: Sede do Ministério Público do Trabalho (Av. Floriano Peixoto, 3575 – Brasil)

3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page