top of page

O contrato do casamento e a traição

Se o casal optar por tentar reconstruir o relacionamento, será necessário estabelecer novos acordos e expectativas

Résia Morais

O casamento, considerado o maior contrato que fechamos na vida, é uma instituição que envolve não apenas comprometimento e amor, mas também expectativas e confiança mútua. O contrato do casamento implica em exclusividade e fidelidade entre os parceiros. No entanto, como em qualquer contrato, há circunstâncias nas quais ele é violado, como ocorre em situações de traição.

A traição é um tema delicado, que provoca intensas emoções e levanta questionamentos sobre os limites da fidelidade, a confiança no parceiro(a) e até mesmo a própria ideia de casamento. Quando ocorre uma traição, as emoções podem variar de choque e raiva à tristeza e decepção. É um momento desafiador, onde o casal precisa lidar não só com a quebra do contrato, mas também com suas próprias emoções, sonhos e entregas.

Estabelecer um novo contrato com o(a) parceiro(a) após uma traição pode ser difícil, mas não impossível. É essencial que ambas as partes se sintam confortáveis em discutir seus medos, preocupações e expectativas. Definir novos termos que possam promover o resgate da confiança é um passo importante nesse processo de reconstrução. Algumas pessoas perdoam e buscam uma reconciliação, enquanto outras optam pela separação. Não há certo ou errado nessa decisão, o importante é que seja feita uma escolha que seja saudável para ambos os ambientes.

No entanto, se o casal optar por tentar reconstruir o relacionamento, será necessário estabelecer novos acordos e expectativas. Essa nova conversa pode ser vista como a assinatura de um novo contrato. SERÁ UM NOVO CASAMENTO no qual ambas as partes devem estar comprometidas em cultivar a confiança e a comunicação aberta.

Nesse processo de reconstrução e aprendizado, surgem questões psicológicas que demandam atenção especial. A traição tem o potencial de abalar a autoestima e a confiança da pessoa afetada, dando origem a sentimentos de inadequação, questionamento do próprio valor e insegurança.

É de suma importância que a pessoa que vivenciou a traição busque apoio emocional, seja por meio de amigos, familiares e de um profissional da área da psicologia. Contar com alguém que esteja disposto a ouvir e oferecer suporte durante esse momento delicado pode ser de grande valia para lidar com as emoções negativas.

A busca pelo consenso e pela compreensão mútua será fundamental nesse processo. Ambos têm responsabilidades nessas negociações. A pessoa que quebrou o contrato deve estar disposta a demonstrar uma verdadeira mudança de comportamento e comprometer-se a evitar atos de traição no futuro. A pessoa traída, por sua vez, precisa estar aberta a perdoar e reconstruir a confiança, mantendo em mente que a melhora do relacionamento virá.

Lidar com as emoções decorrentes de uma traição e reconstruir um relacionamento pode ser um desafio, mas também uma oportunidade de crescimento. O casamento, como qualquer contrato, requer negociação e ajuste contínuo. É importante lembrar que ninguém é imune a erros e a verdadeira força de um relacionamento é a capacidade de superar as dificuldades juntos.


Résia Silva de Morais, CRP-MG 04/31203; Doutoranda em Ciências – UFU. Prof.ª. Psicóloga Clínica em TCC e Psicopedagoga - UFU; Especialista em Terapia de Casal, Família e Hospitalar; Mestre em Psicologia da Saúde – UFU.

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page