Mãos à obra! Você já conhece o Light Steel Frame?

Este sistema tem ganhado cada vez mais espaço nas construções brasileiras.


Por Letícia Alves

Foto Arquivo Pessoal


Imagine como seria você construir a sua tão sonhada casa sem ter dor de cabeça com baixa qualidade de execução, problemas com mão de obra, atraso, erros, retrabalhos e desperdício? Imagine um sistema construtivo totalmente diferente da alvenaria, que no lugar de tijolos e pilares de concreto, uma estrutura de aço leve e placas de fechamento são utilizados permitindo uma obra com rapidez, sem sujeira ou desperdício. Este modelo de construção industrializado é o Light Steel Frame. Amplamente adotado em vários países desenvolvidos, entre eles Estados Unidos e Japão, esse sistema tem ganhado cada vez mais espaço nas construções brasileiras. Conheça agora as principais características do sistema comparado à alvenaria.


Como arquiteta e executora de obras, com experiência nos dois sistemas, afirmo que o uso da tecnologia nos canteiros de obras não só é uma grande tendência, como uma realidade crescente. A preocupação com a sustentabilidade e a pressão ambiental são relevantes nesse cenário para forçar a adoção de uma nova consciência e cultura na hora de construir. Sem mencionar o grande número de vantagens. Mas a pergunta que todos querem saber é: “Quanto custa?” É mais caro ou mais barato que a alvenaria?” E a resposta é: naturalmente quanto mais tecnologia empregada, maior o custo. O valor está muito relacionado às características e benefícios do produto, que nitidamente se sobrepõem à alvenaria. No entanto, em se tratando de obras, não se leva em conta somente o sistema construtivo, mas também outras questões que irão influenciar no custo final da obra, como o tipo de terreno, tipo de solo, fundação e projeto arquitetônico, que são variáveis que podem levar o Light Steel Frame sair preço a preço com a alvenaria, entregando, porém, maior qualidade em menor tempo de obra.


Letícia Alves é arquiteta.

Insta: @arqleticia.alves | E-mail: arqleticiadesign@gmail.com

4 visualizações0 comentário