Levantamento mostra que Minas Gerais tem 32 mil agroindústrias familiares

A Emater-MG fez um levantamento sobre o perfil da agroindústria familiar e encontrou o leite, mandioca e cana-de-açúcar em destaque no estado.

Foto: Divulgação/Emater-MG


A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) concluiu um levantamento que identificou o perfil das agroindústrias familiares de Minas Gerais e a importância desta atividade no meio rural.


A empresa contabilizou 32.479 agroindústrias familiares em 736 municípios mineiros no ano de 2021, sendo consideradas agroindústrias as unidades de processamento de alimentos que realizam qualquer tipo de ação (produza, beneficie, prepare, transforme, manipule, fracione, receba, embale, reembale, acondicione, conserve, armazene) para a comercialização regular.


O levantamento mostrou que a agroindústria familiar com maior destaque no Estado foi a cadeia do leite: com 11.158 unidades, sendo 7.063 estabelecimentos dedicados à produção de queijos artesanais. Logo após, a da mandioca conta com 5.552 unidades, que produzem farinha, polvilho e beiju. Em seguida, aparecem as unidades que usam a cana-de-açúcar como matéria-prima (4.090 estabelecimentos) na produção de açúcar mascavo, rapadura, melado e cachaça. Completam a lista, as agroindústrias familiares de ovos (2.714), quitandas (2.548), mel (2.006), frutas (1.380), hortaliças e condimentos (1.280), café (681), carne (572) e milho (498).


Fonte: Marcelo Varella - Ascom/Emater-MG

7 visualizações0 comentário