Dois mineiros estão entre 21 pesquisadores do Brasil mais citados no mundo

Os engenheiros agrônomos são docentes na Universidade Federal de Viçosa (UFV) e estão entre os 6.600 pesquisadores da lista, em 22 áreas do conhecimento.

Adriano Nunes Nesi e Francisco Murilo Zerbini da esquerda para a direita. | Foto: Arquivo pessoal


Os engenheiros agrônomos Adriano Nunes Nesi e Francisco Murilo Zerbini são os únicos mineiros presentes na lista Highly Cited Researchers – uma avaliação da consultoria britânica Clarivate Analytics que elenca os pesquisadores mais citados e influentes do mundo. Os dois são docentes na Universidade Federal de Viçosa (UFV) e estão entre os 6.600 pesquisadores da lista, em 22 áreas do conhecimento.


O levantamento, divulgado na edição de 2021 no último dia 16, mostra o Brasil representado por 21 estudiosos de 12 instituições diferentes. A lista é elaborada através de uma coleta de dados na Web of Science, uma das bases de dados de citações e referências mais respeitadas globalmente.


Adriano Nesi, leciona na instituição em Viçosa desde 2010 e, segundo a universidade, foi pesquisador no Instituto Max-Planck de Fisiologia Molecular de Plantas na Alemanha. Além disso, o engenheiro já foi considerado em 2014 e 2015, um dos cientistas mais influentes do mundo na categoria Plant & Animal Science, divulgada pela agência de notícias Thomson Reuters.


Já o professor Murilo Zerbini, que atua na UFV há 27 anos, se dedica à virologia vegetal. Além de ser presidente do International Committee on Virus Taxonomy, Zerbini coordena o Laboratório de Ecologia e Evolução de Vírus da UFV – um dos credenciados pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) para a realização de testes de detecção da COVID-19.


No ano passado, de acordo com um estudo realizado pela Universidade de Stanford, nos EUA, e publicado pelo Journal Plos Biology, Nesi e Zerbini também estavam entre os 100 mil cientistas mais citados.


Fonte: Jornal Estado de Minas

2 visualizações0 comentário