Dia dos Queijos Artesanais de Minas – Entenda a importância desses queijos para o estado

Esses produtos são destaques agropecuários de Minas Gerais


Se tem uma coisa que une os mineiros são os queijos artesanais produzidos no estado, não há quem não goste. Por ser algo tão importante para Minas Gerais, através da Lei Estadual 22.506, foi instituído que o dia 16 de maio seria sempre lembrado como o Dia dos Queijos Artesanais de Minas.


A homenagem foi um reconhecimento da importância desses tipos de queijos feitos de leite cru, sem processo de pasteurização. Esses produtos têm relação direta com aspectos gastronômico, econômico, social e cultural do estado, por isso devem ser sempre valorizados. As variadas receitas de queijos artesanais costumam seguir tradições históricas, passadas de geração em geração por famílias de produtores rurais.


O Queijo Minas Artesanal (QMA) é uma das muitas variedades de queijo artesanal produzidas em Minas. “Foi o primeiro queijo a ser caracterizado no estado. O leite cru tem de ser produzido, exclusivamente, na propriedade de origem do queijo. Utiliza pingo, coalho, salga a seco e passa por processo de maturação, adquirindo uma casca lisa e amarelada”, explica a coordenadora técnica estadual da Emater-MG, Maria Edinice Soares.


Inclusive, o sucesso dos queijos artesanais é tão grande que o QMA já é reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e o jeito de produzir a iguaria foi lançado na categoria Saberes, pelo Conselho Consultivo do Iphan.


De acordo com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado Minas Gerais (Emater), a produção de queijos artesanais gera renda e ocupação para cerca de 30 mil famílias de todas as regiões do estado. Juntas, essas famílias produzem cerca de 85 mil toneladas do produto ao ano.


Nos dois últimos meses, Minas ganhou mais duas novas regiões produtoras de Queijo Minas Artesanal, sendo a região de Diamantina e a região nomeada como “Entre Serras da Piedade ao Caraça”, que contempla os municípios de Catas Altas, Barão de Cocais, Santa Bárbara, Rio Piracicaba, Bom Jesus do Amparo e Caeté.


Com a oficialização dessas novas áreas produtoras de QMA, Minas Gerais totaliza agora dez microrregiões caracterizadas. São elas: Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Diamantina, Entre Serras da Piedade ao Caraça, Serras da Ibitipoca, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro.

5 visualizações0 comentário