Agricultores familiares de Campina Verde retomam produção de arroz, de olho nos bons preços

Considerado um dos "violões da inflação" em 2020, o arroz de sequeiro tem sido foco para os agricultores familiares.

Foto: Divulgação/Emater-MG


A disparada nos preços do arroz em 2020, primeiro ano da pandemia da Covid-19, estimulou os produtores rurais do município de Campina Verde, no Triângulo Mineiro, a retomar os investimentos numa cultura que já foi muito tradicional por lá, até a década de 1970. Agora, mais de 50 anos depois, e ainda com resquícios do conhecimento das gerações passadas, os cachos dourados dos arrozais voltam a tomar, embora timidamente, parte do cenário da região do Pontal do Triângulo, que já chegou a ser conhecida como a "capital do arroz".


Como os agricultores familiares estão plantando o arroz de sequeiro, é fundamental contar com a chuva para uma boa produção. Foi o que aconteceu na última safra, o que animou ainda mais os produtores: "Na próxima safra, vou plantar pelo menos um hectare. Agora vou preparar a terra pra plantar mais cedo, para aproveitar a chuva no período mais necessário, que é quando ele está soltando os cachos. E em janeiro do ano que vem, já quero estar colhendo", planeja Lindomar Francisco Alves.


Em 2020, o arroz foi considerado um dos "vilões da inflação". Os preços no campo chegaram a disparar 100%. E, mesmo que as cotações tenham sofrido recuo nos últimos meses, ainda permanecem cerca de 30% acima do período pré-pandemia da Covid-19, de acordo com dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea)/USP.


Fonte: Miriam Fernandes - Ascom/Emater-MG

1 visualização0 comentário