A arte de degustar um bom vinho

Sommelier, com muito prazer!

Por Wallace Neves

Fotos Divulgação


Em muitas aulas e palestras que faço pelo Brasil, é comum os apreciadores da bebida de Baco me perguntarem quais os segredos para degustar o vinho. Existe alguma técnica para perceber os aromas? Como se pode perceber aromas de maracujá, limão, abacaxi, morango, pimentas, se o vinho é feito de uva? Qual o sabor que vinho possui? Diante desses questionamentos irei conduzir os leitores por essa viagem sensorial que o vinho nos proporciona.


As pistas do exame visual

Das três análises realizadas durante a degustação de vinho - visual, olfativa e gustativa -, com toda certeza a primeira é a mais negligenciada. Porém, observando a cor do vinho podemos ter uma ideia se ele é jovem ou envelhecido. A cor purpura nos vinhos tintos revelam sua juventude e se tiver uma tonalidade atijolada estará denunciando sua maturidade. Nos vinhos brancos com tons esverdeados percebemos uma acidez alta e frescor. Para os tintos de tons mais escuros, geralmente temos um vinho mais encorpado. Tudo isso podemos perceber pelo aspecto visual.


Exame olfativo: dificuldades

Uma das maiores dificuldades de qualquer iniciante na arte da degustação é perceber os aromas dos vinhos. Muitas pessoas desanimam, pensando que nunca irão identificá-los. Mas é uma questão de treinamento. É preciso exercitar o olfato. Recomendo prestar mais atenção nos aromas que estão no ar - de frutas, flores, especiarias, produtos de origem animal - porque eles podem surgir nesse ou naquele vinho. Uma boa dica que posso compartilhar com os apreciadores é que vinhos brancos terão aromas de frutas brancas e vinhos tintos terão aromas de frutas vermelhas ou negras.


Aromas que a barrica transmite ao vinho

Umas das distinções mais relevantes no mundo dos vinhos é feita entre os vinhos chamados frutados e os barricados, sendo estes últimos os que estagiam em barricas de madeira, geralmente carvalho. A barrica transmite aos vinhos, além das notas de carvalho, aromas que lembram baunilha, caramelo, nuanças defumadas e tostado. Esses aromas derivam das substancias naturalmente presentas na madeira.


Exame gustativo

No paladar, conseguimos detectar quatro sabores básicos dependendo de que parte da língua o vinho passa. Na ponta da língua perceberemos o doce, na lateral mais na parte anterior iremos perceber o salgado. A acidez, que causa salivação (água na boca) percebemos nas laterais, mais para trás. E finalmente, caso perceba o amargor no vinho vamos notá-lo na parte posterior da língua. Por isso é essencial “trabalhar” o vinho na boca, molhar toda a língua, afim de detectar todas as características.


Wallace Neves é Sommelier profissional, fundador da @ conexaosommelier, professor de Enologia do IGA, professor da Associação Brasileira de Sommeliers e jurado internacional de vinhos, tendo recebido indicações de Melhor Sommelier pelas revistas Veja e Adega e premiado como Melhor Sommelier pela Rio Wine and Food Festival e Melhor Sommelier do Brasil em Vinhos do Alentejo. Tornou-se o Embaixador dos Vinhos do Alentejo no Brasil.

1 visualização0 comentário